Julho 2015

0

O intercâmbio dos outros

Posted on quarta-feira, julho 22, 2015

Mimos da China!
Saí do trabalho. Peguei o trem. Estava ansiosa. Não por ir à Polícia Federal, renovar passaporte. Por reencontrar uma amiga que não via há dez meses.
Ela fazia intercâmbio na China, lá do outro lado do mundo. Outra cultura, outros costumes, outra língua... Deve ser estranho passar tanto tempo em um lugar tão diferente. Mas eu só posso conhecer o meu lado, o lado dos que ficam.
Sempre vejo pessoas escrevendo seus diários de viagem, blogs sobre intercâmbio etc. Mas acho que nunca vi ninguém falando sobre quem fica. Até porque somos meros coadjuvantes nessa história. Mas são muitos mais os que ficam, do que os que vão.

Quem será que sente mais saudades: quem viaja ou quem fica? Eu não sei responder essa pergunta. Eu diria que quem fica, porque a pessoa que vai vê muitas coisas novas, diferentes do cotidiano. Há quem diga que é quem viaja, porque está distante de todos que convive, justamente desse cotidiano que nos prende aqui.
Saudade é uma coisa engraçada para quem fica, também. Tenho mais uma amiga fazendo intercâmbio atualmente, na Alemanha. Toda vez que, nesses últimos meses, pensei em falar com elas, tentei me frear um pouco. Sinto como se estivesse me intrometendo nas experiências delas por falar demais. O contato muito frequente com o país natal pode prejudicar a absorção do idioma e cultura locais. Mas até que ponto isso é saudável? Quando você deixa de ser uma amiga preocupada e passa a ser a chata que não fala mais com a amiga distante?
Algo legal, por outro lado, é o fato de em cada conversa haver tanta coisa para contar! Quem fica tem tanto para aprender com quem foi... Quem foi tem tanto para saber sobre quem ficou.
E quando o intercâmbio dos outros termina, você apaga toda a distância e o tempo longe com um abraço. Não há nada como reencontrar um amigo.

A foto acima é dos chás chineses que ela trouxe para mim, Jan e minha mãe! Eles tem um cheiro maravilhoso e a promessa é que o da direita tenha gosto de pão (?). Obrigada

0

#MLI2015 (Bia) - Semana 1

Posted on terça-feira, julho 21, 2015

Já passou uma semana desde que eu comecei a participar da #MLI2015. E surpreendentemente as perspectivas são boas por aqui!

Minha TBR, para quem não lembra: http://toalhademoebius.blogspot.com.br/2015/07/mli2015.html
O primeiro já foi! Eeeeee... Estou na marca dos 75% lido com o segundo!
- A Gruta Gorgônea 
- O Penúltimo Perigo
- O Fim
- O Chamado do Cuco (percebi depois que também se encaixa no desafio de mais de 400 páginas)
- O Arqueiro

Impressões sobre A Gruta Gorgônea, de Lemony Snicket
Estanho falar sobre o 11º livro da série sem ter feito resenha ou falado algo sobre os outros. Mas acho que esse livro é o que realmente difere dos outros, não é "apenas" mais uma desventura.
Acontece que depois de escapar 10 vezes do conde Olaf, os órfãos Baudelaire já estão bem grandinhos - inclusive Sunny. Conhecem pessoas que não são completamente inúteis para sua situação desventurada e, também, verdadeiros amigos.
Nesse livro em especial, experimentama traição de amigos e, mais uma vez, o abandono e a covardia de um adulto. O Medusoide, cogumelo mortífero, chega muito perto de vitimar Sunny... E se eu contar muito mais, dou spoilers demais.
O que é marcante, entretanto, é o crescimento dos personagens e a virada narrativa que Snicket dá nesse livro - um processo que tem acompanhado os últimos dois livros. Porém, é no livro undécimo que fica clara a capacidade de escolha que os órfãos desenvolvem, o jeito de tomar conta de si mesmos e de lidar com as desventuras de suas vidas.
Além disso, li esse livro tão rápido porque ele tem mistérios que quase me fazem arrancar os cabelos! Tem, também, reviravoltas do tamanho de furacões. Enfim, parece que a série se encaminha para um estonteante final.

E, sobre O penúltimo perigo, também do Snicket
Estou escrevendo sem ter finalizado a leitura - o que é bom, porque quando se sabe o final, não há como não passar ele nas entrelinhas de uma opinião. No livro duodécimo, penúltimo da série, um hotel cheio de personagens misteriosos é apresentado ao leitor.
Mais uma pessoa inocente acaba morrendo, e os planos de Olaf ficam ainda mais obscuros e enrolados. Parece mistério que não termina mais.
Pergunto-me o que será de mim quando terminar a série. Serei, também, uma órfã (dos) Baudelaire. 

Considerando a leitura até agora, estou de parabéns...

0

#MLI2015 (Bia) - Flopei!

Posted on segunda-feira, julho 13, 2015

Olá olá!
Assim como é triste minha vida ao ler Desventuras em Série, a sua deve ser triste ao ler esse blog. Não é o mesmo tipo de tristeza, claro. Eu não fico trabalhando forçadamente em serrarias, fazendo macarrão com almôndegas pro Olaf, colocando fogo em circos... O sofrimento de um leitor deste blog tem outro caráter: o de abandono.
Peço desculpas e posso até, como faz Snicket, sugerir que você leia algo mais interessante, como o Vade Mecum 2015, com a última versão de todas as leis do nosso país. Claro, é muito mais maçante. Mas, ao menos, você terá bastante para ler durante o ano todo - e quando o ano acabar, você pode adquirir a nova edição e ler tudo mais uma vez, porque tudo estará diferente.
Bem, se você continuou lendo até este parágrafo, obrigada. Bom saber que não sou a única que gosta mais de blogs abandonados do que de maçantes compêndios legislativos. Vamos ao que interessa: livros!

Com um grande atraso, resolvi aderir à #MLI2015 (Maratona Literária de Inverno 2015). Ela é organizada pelo Victor Almeida, do canal do You Tube Geek Freak, e serve como uma espécie de "gincana" literária, mobilizando pessoas a lerem mais no período de férias.
Ocorre que se você se inscrevesse até o dia 03/07, tinha direito a concorrer a prêmios etc. Mas, como sou super atualizada, fiquei sabendo da maratona sexta (10/07) - portanto, minha participação vai ser informal mesmo. haha
Se você também quiser participar de algum jeito ou apenas saber mais sobre a Maratona dá uma olhada no vídeo do cara: http://youtu.be/giV3fFuq0p4

No mais, tentei preparar uma TBR linda e maravilhosa para este mês lindo e maravilhoso sem aulas. TBR é uma lista de livros to-be-read (para ler). O Victor sugere alguns critérios para participar da #MLI2015. Você pode ver mais sobre isso no vídeo dele também.
Enquanto isso, eu, rebelde (yo soy rebelde... quando no sigo los demás... *arranha o disco*), não vou seguir muito o cronograma proposto. Até porque estou só um pouquinho atrasada (oi?).

Sou uma pessoa de desafios (até parece). Portanto, são os desafios que vou tentar seguir, ao menos um pouco. São eles:
• Um livro com figuras ou ilustrações
• Comece e/ou termine uma série, trilogia ou duologia
• Um livro que alguém escolheu por você
• Um livro que já virou ou vai virar uma adaptação cinematográfica
• Um livro com a capa azul
• Um livro do gênero que você menos leu ano passado
• Um livro que você ganhou
• Um livro com mais de 400 páginas


E... Assim ficou minha TBR (de 13/julho a 03/agosto):
- A Gruta Gorgônea - Desventuras em Série 11 (livro com ilustrações)
- O Penúltimo Perigo - Desventuras em Série 12 (por uma causa maior, que é...)
- O Fim - Desventuras em Série 13 (...terminar uma série!)
- O Chamado do Cuco (ganhei da Anita)
- O Arqueiro - A Busca do Graal 1 (nunca li um livro desse gênero; antes de começar um GoT da vida, preferi começar com o bom e velho Cornwell)

Começando pelo segundo livro mais amor da série até agora <3 br="">
Achou pouco? Infelizmente é bem provável que eu não vença nem metade. Isso porque a aula para, mas o trabalho? Nunca! haha
Talvez o Jan apareça com uma TBR aqui também. Vamos aguardar ansiosamente!
Depois venho aqui contar o que achei dos livros e o quanto eu flopei nessa maratona haha
Um Dia do Rock bem emo-gótico-depressivo-triplesix pra você ;*